Páginas

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

O Tempo


O Tempo


Viajo rápido no tempo

Corro pelas alamedas

Árvores centenárias

Palmeiras imperiais


Corro pelas alamedas

Em busca do passado,

Perdido no tempo,

Em tons de sépia


Árvores centenárias

Adornam meu retorno

No tempo, não no espaço.

Busco algo, impreciso.


Palmeiras imperiais

Símbolos de outras épocas

Resistentes a tempestades

Como eu costumo resistir.


Luiz Ramos ©


Setembro de 2008.

Foto: ramosforest ©

3 comentários:

sonia a. mascaro disse...

Muito bonito o seu poema, Luiz!

Gostei também do seu novo banner!
Bjs.

Susi^A^ disse...

Aplausos! O tempo é nossa grande riqueza , mesmo que ele seja breve, se for vivido intensamente, terá valído a pena.

abueloscrisytoño disse...

!Precioso! !felicidades!
A.Cris

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin