Páginas

sábado, 3 de julho de 2010

Borges


James Joyce


De Jorge Luis Borges (“Elogio da Sombra”)


Em um dia dos homens estão os dias

Do tempo, desde o inconcebível

Dia inicial do tempo, em que um terrível

Deus prefixou os dias e agonias,

Até aquele outro em que o ubíquo rio

Do tempo terrenal torne a sua fonte,

Que é o Eterno, e se apague no presente,

no futuro, no passado o que agora é meu.

Entre a aurora e a noite está a história

Universal. Do fundo da noite vejo

A meus pés os caminhos do hebreu,

Cartago aniquilada, Inferno e Glória.

Dá-me, Senhor, coragem e alegria

Para escalar o cume deste dia.


Foto:ramosforest©

6 comentários:

Ramosforest.Environment disse...

Borges. Literatura boa e polêmica.

Tere Tavares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tere Tavares disse...

O melhor de Borges era ele mesmo. O seu legado.
Abraço

Luma Rosa disse...

Também deste livro "Elogio da Sombra", lembrei de outros versos quando visualizei a nova imagem que colocou no cabeçalho:

"O rio me arrebata e sou esse rio.
De matéria perecível fui feito, de misterioso tempo.
Talvez o manancial esteja em mim.
Talvez de minha sombra,
fatais e ilusórios, surjam os dias."

Boa semana! Beijus,

Luma Rosa disse...

Li o post que indicou "Babás, bebês e ciclovias" e acho que é geral! Aqui em Cabo Frio, as pessoas usam a ciclovia como se fosse calçada e percebo que os prefeitos constroem mas não repassam à população o porque da construção ou qual a finalidade. Fica parecendo que constroem para ficar mais bonito ou para gringo ver!!

Djabal disse...

Ele ao fazer poesia nos eleva. Visitamos lugares que não estivemos.
Representamos pessoas que não conhecemos.
Ele com o seu olhar, carrega o nosso para cima. Para além. Uma ótima escolha. E um grande abraço.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin