Páginas

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Linguagem e imagem


Guimarães Rosa: Linguagem e imagem

“Menos que a manhã não vinha longe, o fresquim frio, os galos pondo canto, o ar cheiroso dos Gerais se trazendo de todos os verdes, remolhada funda de orvalho a poeira das estradas, pesada como um reboco, e as vacas berrando, as cabras bezoando, no meio dos pios pássaros. Um frio sem umidade nenhuma, a gente aguentava sair sem roupa que fosse, para o livre, não tremia. Mal apontando o sol...”

in João Guimarães Rosa, “Noites do Sertão, Dão-Lalalão”, pagina 81, Ed. Record/Altaya, Rio/S. Paulo 1988.

Foto: ramosforest©

12 comentários:

Djabal disse...

A linguagem resta como imagem, som e cadência. É incrível como alguém consegue juntá-las para fazer um efeito que dicionário algum conseguirá traduzir. Parece ir além do idioma. As palavras recuperaram a metáfora original. Grande trecho. Obrigado por partilhar. Um abraço.

Wren disse...

Very interesting photo - it looks much like an impressionist painting.

simplesmente curando disse...

Maravilha essa maneira familiar de se comunicar,que com um ritmo único consegue se fazer entender com tanto encanto e beleza.Belo trecho,belo trabalho,belo Blog.
um abraço.

antes blog do que nunca! disse...

Perceber a vida e suas facetas, todas absolutamente imensas. A representação da expressão do pensamento. Belo!

1 Bj*
Luísa

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá, bom final de semana Luiz
Guimarães Rosa em suas escritas transpunha a realidade vivida pelos brasileiros.
Boas lembranças me trouxe esse post. Ler e re-viver, lembrar a semelhança de modos de vidas de pessoas que vivem tão distante fisicamente.
UM SÓ MUNDO! MILHARES DE EXPERIÊNCIAS E VIVÊNCIAS.
Um abraço

Madalena Barranco disse...

Palavras que fazem a alma voar n frescor da liberdade.Beijos.

Tere Tavares disse...

O Pensar excede os redutos supostamente distantes. Gostei muito.
Abraço

Iran Maia disse...

Amei seu blog.
Acabei de lançar um livro chamado Qualquer Versar, o download é gratuito. Dê uma lida:
http://recantodasletras.uol.com.br/e-livros/2555650

Iran Maia

Sena do Aragão disse...

Ah, que saudades de ler Guimarães Rosa.

Dá para viajar na doçura desse belo momento.

Abraços

Luma Rosa disse...

No campo as pessoas madrugam e antes do sol aparecer, o orvalho brilha e no fundo escutamos o mugido dos animais. Uma serenata orvalhar!! (rs*) Beijus,

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá, bom dia caro Luiz
Passando para deixar-te um abraço

Luma Rosa disse...

Ei, está por aí? Manda notícias!! Beijus,

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin